Conteúdo

Ecocardiografia bidimensional com Doppler

A ecocardiografia ou ecocardiograma bidimensional com doppler é um exame de ultrassom, no qual as imagens do coração, captadas por um transdutor colocado sobre o tórax do paciente, são transmitidas para um monitor. É um método diagnóstico muito utilizado em cardiologia para a detecção de alterações estruturais e/ou funcionais do coração.

Como é feito

Com o paciente deitado, as estruturas do coração são analisadas em diferentes posições. O procedimento tem duração de aproximadamente 20 a 30 minutos (salvo exceções).

Indicação

Está indicado para a avaliação de:

  • Função ventricular esquerda, de dispneia e edema, e das cardiomiopatias.
  • Valvopatias de sopro cardíaco e de próteses valvares.
  • Dor torácica com suspeita de etiologia cardíaca, com diferenciação entre síndrome isquêmica aguda, pericardite, dissecção de aorta, estenose valvar aórtica, prolapso de valva mitral, cardiomiopatia hipertrófica e outras patologias extracardíacas, como tromboembolismo pulmonar, doenças do esôfago ou osteoneuropatias.
  • Efeitos da hipertensão arterial sistêmica.
  • Eventos cardioembólicos, centrais ou periféricos.
  • Hipertensão no tromboembolismo pulmonar e em doenças pulmonares.
  • Substrato anatômico para arritmias e síncope.
  • Massas e tumores intracardíacos.
  • Doenças do pericárdio.
  • Doenças da aorta torácica, da artéria pulmonar e das veias cavas e pulmonares.
  • Cardiopatias congênitas.
  • Pacientes criticamente enfermos ou politraumatizados.
  • Rotina cardiológica em pacientes assintomáticos, porém sob situações especiais, como gravidez ou atividade atlética de alta performance.
  • Doenças sistêmicas ou de terapêuticas com envolvimento cardíaco.
  • Seguimento evolutivo dessas doenças ou avaliação do efeito de medidas terapêuticas.
  • Monitorização cardíaca durante procedimentos invasivos (por exemplo: biópsia miocárdica).

Contraindicação

Não há relatos de efeitos adversos decorrentes do uso de ultrassom para fins diagnósticos.

Limitações do exame

Em pacientes que apresentem:

  • Limitação de janela acústica por interposição de ar ou tecidos (enfisema subcutâneo, doença pulmonar obstrutiva periférica (DPOC), obesidade, prótese mamária, entre outras).
  • Limitação de acesso ao tórax (curativos, feridas cirúrgicas, drenos, entre outros).
  • A presença de líquidos (por exemplo: derrame pleural ou pericárdico) não costuma prejudicar a imagem devido ao meio líquido ser facilitador da transmissão do ultrassom.

Preparo

Não é necessária nenhuma preparação antes do exame em adultos.

Em crianças, jejum oral de 4 a 6 horas, caso seja necessária sedação para evitar agitação e permitir visualização mais adequada das estruturas cardíacas.

​Referências

  1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. RevistaBrasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
  1. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.